21.08.2018

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

SERGIPE: EM ATO UNIFICADO, CATEGORIAS ESTADUAIS MOSTRAM INSATISFAÇÃO COM GOVERNO E APROVAM ADESÃO À GREVE GERAL
Categorias estão há cinco anos sem reajuste salarial e vencimentos estão sendo parcelados.
Bruno Menezes
Da FESEMPRE, em Belo Horizonte - MG.


06/02/2018 • 11h48

Informações complementares:

Município: Aracaju - SE


 

Categorias da administração geral, magistério, saúde, polícia civil, fisco – entre outras classes – realizaram um ato unificado na manhã desta segunda, 5, para protestar contra a política de atraso e parcelamento de salários e falta de transparência das contas públicas do governo estadual. Na primeira manifestação do ano, os servidores ocuparam a Praça da Bandeira para reforçar o discurso de insatisfação e revolta, que abrange ativos e aposentados do Estado.

 

Os trabalhadores pedem a reposição salarial, que há mais de cinco anos é negada pelo governo, e a regularidade dos pagamentos dos salários. No último calendário divulgado pelo governo, somente uma pequena parcela dos servidores recebeu o salário de janeiro dentro do mês. “Os outros servidores que representamos estão sem acesso ao pagamento e sem saber qual o dia receberá”, disse o presidente do Sintrase, Diego Araujo. “Os aposentados são os mais prejudicados, por serem os últimos a receber, e ainda assim, de forma parcelada”. Durante o ato, uma informação extraoficial foi divulgada pelo Sergipe Previdência, que afirmou aos sindicalistas presentes no ato que somente no dia 15 de fevereiro os aposentados terão os valores liberados, mas novamente, de forma parcelada.

 

 

Para o presidente do Sindifisco, Paulo Pedroza, o governo alega uma crise, mas não abre as contas. “Quem está quebrado demonstra claramente”, retratou em seu discurso. Enfático, o dirigente afirmou que “o governo, de forma descarada, manipula os dados”.
“Para se ter uma ideia, em dezembro de 2016 o governo parcelou o décimo terceiro salário e em sua contabilidade, lançou este décimo de 2016 em 2017, à medida em que o pagou no ano de 2017. Em dezembro do ano passado, sem ter pago o décimo[porque parcelou novamente], ele lançou o lançou na sua integralidade. Isso aumentou a despesa de pessoal em 2017 em mais de 200 milhões de reais”, declarou o dirigente. “Isso dá um crescimento irreal de despesa de pessoal de forma significativa, porque ele lançou no exercício de 2017 a segunda parcela do décimo duas vezes”, exemplificou o sindicalista. “Assim, o governo vai dizer que a folha de pessoal é o principal problema da administração pública, quando é a falta de transparência e de prioridade com o serviço público”, completou sua fala.

 

 

Reforma da Previdência: Greve Geral no dia 19

 

Durante a manifestação, os servidores realizaram uma assembleia para deliberar a adesão à Greve Geral no próximo dia 19. A previsão, segundo os sindicalistas, é que o Congresso vote a Reforma da Previdência ainda este mês. “O governo de Temer está trabalhando fortemente nos bastidores para aprovar essa ‘Deforma’, que não bonifica em nada a classe trabalhadora. Vamos, mais uma vez, parar o país em protesto a mais esta tentativa de golpe”, finalizou Diego.

 

 

Fonte: Sintrase

 

 

Federação Interestadual dos Servidores Públicos Municipais e Estaduais
Assessoria de Comunicação - (31) 3274-2427
Email: jornalismo@fesempre.org.br
Curta nossa fan page: facebook.com/fesempreoficial

  • Voltar

  •  

Parceiros
Rua da Bahia, 1148 - 16º andar - Centro - Belo Horizonte | MG - CEP 30160-906 - 31 32742427
©2010 | 2018 FESEMPRE. Todos os direitos reservados.